domingo, 17 de agosto de 2008

Em partida de 13 quebras, Dementieva conquista primeiro ouro do tênis russo

Irmã de Marat Safin comete 17 duplas faltas e cede virada. Pódio é russo

GLOBOESPORTE.COM Pequim

Os deuses do tênis não perdoaram as 17 duplas faltas de Dinara Safina, e Elena Dementieva (foto) conquistou, neste domingo, a primeira medalha de ouro da história da Rússia no tênis. Em uma partida cheia de altos e baixos, com 13 quebras de serviço e 2h33m de duração, a número 7 do mundo levou a melhor por 3/6, 7/5 e 6/3.

Além dos saques Safina, sexta colocada no ranking, também teve quebrada sua seqüência de 15 vitórias. Antes dos cinco triunfos que a levaram à final olímpica, a russa de 22 anos havia levantado os troféus dos WTAs de Los Angeles e Montreal.

Quebras, muitas quebras

Os primeiros momentos da final olímpica foram nervosos. As duas tenistas tiveram dificuldades no saque e trocaram quebras nos quatro primeiros games. Safina fez três duplas faltas e cometeu seguidas falhas quando sacava, mas dominava as trocas quando estava na devolução.

Só no quinto game, a irmã de Marat Safin conseguiu confirmar seu serviço, o que se provou decisivo. Em seguida, Dementieva se deixou quebrar pela terceira vez seguida e não conseguiu se recuperar do prejuízo. Por 6/3, o primeiro set foi para Safina, que esteve mais consistente durante toda a parcial.

No segundo set, a consistência de Safina se limitou às duplas faltas: do mesmo jeito que fez na parcial anterior, a número 6 do mundo seguiu cometendo duplas faltas. Foram três logo nos dois primeiros games, o que permitiu a reação de Dementieva. A sétima colocada no ranking, que passou a vencer mais pontos com seu primeiro saque, aproveitou e abriu 4/1.

A reação durou pouco. No sétimo game da parcial, Dementieva bobeou novamente com o saque e permitiu que Safina recuperasse a igualdade, que permaneceu até o 12º game, quando a jovem de 22 anos vacilou. Com set point contra, Safina errou uma curtinha, e a partida foi para o terceiro set.

Raquete sofre

Dementieva nem precisou fazer muito esforço para sair na frente no set decisivo. Safina fez quatro duplas faltas no segundo game e praticamente deu a quebra de graça. Dementieva abriu 2/0, mas também foi quebrada, e o placar só não ficou igualado porque uma irritada Dinara Safina voltou a cometer erros não-forçados e também perdeu seu game de saque.

Perdendo por 4/1 e batendo a raquete no chão repetidas vezes, Safina parecia sem recursos e desanimada, mas conseguiu reencontrar seu tênis e descontar a quebra. Na hora de confirmar o serviço e igualar a parcial, a irmã de Marat falhou: cometeu mais duplas faltas e deixou que Dementieva abrisse 5/3.

Sem Sharapova, pódio 100% russo

A também russa Vera Zvonareva, número 11 do mundo, ficou com a medalha de bronze. Ela frustrou as esperanças da torcida local e bateu a chinesa Na Li por 6/0 e 7/5 neste domingo, em apenas 1h10m.

Curiosamente, Zvonareva ganhou vaga na equipe olímpica de seu país por causa da desistência de Maria Sharapova, quinta colocada no ranking da WTA e principal esperança de ouro para a Rússia. Uma lesão no ombro direito da musa e impediu de atuar em Pequim, e Zvonareva aproveitou a chance.

Nenhum comentário: