sábado, 12 de julho de 2008

Seleção feminina de vôlei com o Grand Prix (quase) nas mãos

Nesta madrugada, a seleção feminina de vôlei esmagou as cubanas por 3 sets a zero (25-14, 25-15 e 25-20) e colocou uma mão, quatro dedos e mais nove décimos do último dedo na taça do Grand Prix, cuja fase final está sendo disputada em Yokohama, no Japão. As brasileiras só perdem o título se, neste domingo, forem derrotadas pelo Japão por 3-0 com parciais na casa de 25-7 em cada set, e se Cuba fizer o mesmo contra a Itália de Piccinini, Lo Bianco e cia. Aí as cubanas ganhariam das brasileiras pelo point average, a divisão dos pontos feitos pelos sofridos. A chance disso acontecer beira o inacreditável, tanto que muitos sites brasileiros já fizeram matérias dizendo que o Brasil já conquistou o título. Nunca leram o regulamento da competição, pelo visto.

Quanto ao time em si, as meninas parecem bem mais maduras que nas últimas competições grandes, em especial Mari, que foi chamada por um amigo de Terminator: ou seja, ela destrói tudo que vê pela frente e não muda a expressão nunca. Chega a dar medo. Outras, como Paula Pequeno, Fabi e Fofão, estão em grande fase. Tomara que o time mantenha o ritmo e faça bom papel em Pequim. Brasil, China (pra mim a favorita máxima, por jogar em casa), Itália, Rússia (que não disputou esta edição do Grand Prix) e Cuba são as concorrentes ao ouro.

E a partida entre Brasil e Japão será transmitida neste domingo, às 6 da manhã, pelo Sportv. Na seqüência, um Supervolley especial para fazer um balanço do torneio.

2 comentários:

Gal disse...

E os meninos também estão bem. Mesmo com o time desfalcado.

Beijos e namarië.

gil disse...

Morri de pena por não ter visto o jogo contra Cuba, marquei para assistir, maaaaaaaas peguei no sono. Preciso me organizar pra trocar a noite pelo dia durante as Olimpíadas que uma coisa dessa nos dias de Pequim NÃO PODE acontecer.